Menu

Todos os Materiais Esterilizados em Autoclave

* * * Avaliação Gratuita * * *

Faça-nos uma visita!

Conheça nosso espaço reservado especialmente para você

Tel:(63)3225-5736 fixo (63)8133-4451 Tim

Quadra 103 Norte Avenida LO 02 Lote: 48 Sala: 05

OLHO DE PEIXE

 O bicho do pé, é uma das infecções cutâneas mais frequentes no verão. É uma pulga feminina de nome científico Tunga penetrans, que se aloja na pele para se alimentar do sangue e pôr ovos, isto é, uma infecção que é caracterizada por inchaços dolorosos localizados principalmente ao redor de onde o inseto penetrou, sob as unhas do pé nas partes mais moles ou entre os dedos do pé. No entanto, pode-se pegar o bicho-do-pé em qualquer local do corpo. As larvas são de vida livre, sendo encontradas em habitações de chão de terra, em solos arenosos e praias, mas sempre em locais sombreados. O adulto (pulga) possui coloração marrom avermelhada e mede aproximadamente 1 mm de comprimento, porém, uma fêmea grávida pode chegar a medir o tamanho de uma ervilha. É a fêmea adulta e fertilizada quem possui a capacidade de perfurar a pele do homem, porco e outros mamíferos, com suas partes bucais. Ela aloja-se dentro do corpo do hospedeiro até que o último segmento abdominal esteja paralelo com a superfície da pele. Alimenta-se de seu sangue e expele os ovos maduros pelo ovipositor, ficando estes na ponta de seu abdômen. Uma fêmea pode produzir de 150 a 200 ovos durante um período de 7 a 10 dias.

       Sintomas: 
       Começa com uma leve coceira local, que pode evoluir para úlceras dolorosas, que culminam com frequência em infecções secundárias; 
       Inchaço local; 
       Procure um podólogo ou médico para a remoção do bicho-do-pé;
      O procedimento pedológico para o tratamento do bicho-do-pé é diagnosticar, em seguida faz-se assepsia em todo o pé com álcool 70% (assepsia cuidadosa têm como objetivo evitar ou diminuir os riscos de complicações decorrentes, bem como facilitar o processo de cicatrização ) e removê-lo com um instrumental esterilizado. É importante que seus ovos seja totalmente removido de dentro da pele, procurando não ferir a pele sadia que o circunda, terminando com curativos à base de antissépticos e bactericidas. Recomenda-se também que vacine-se contra o tétano.


Nilva Macedo da Costa

 Fone: (63) 8139-3954 (63) 8422-9407